Search
  • gabriel30072

O empurrão judaico - Por Itay Mor.

Advogado Itay Mor, CEO do Clube do Passaporte e Presidente da Associação Judaica Over The Rainbow Portugal escreveu o seguinte texto no que tange a importância do decreto lei que garante à todos descendentes de perseguidos na inquisição o direito a cidadania portuguesa:


Texto publicado no site Jornal Econômico em Portugal.


O empurrão judaico:

Com ligações históricas e efetivas ao país, os judeus sefarditas entendem igualmente o momento positivo de Portugal e a sua posição estratégica na Europa, e pretendem acrescentar valor à economia nacional.


Por estes dias, discute-se, em Portugal, o próximo Orçamento do Estado e a melhor utilização possível para os fundos europeus disponibilizados em breve, como resposta à crise económica provocada pela Covid-19. Mas, sendo esta discussão essencial, acredito que esses fundos devem ser complementados pela iniciativa coordenada de várias comunidades a bem da economia nacional. Se os fundos europeus passaram a ser conhecidos como a bazuca económica, hoje falo de um empurrão… judaico.

Desde a aprovação da Lei da Cidadania Portuguesa, em 2013, os judeus sefarditas, descendentes dos judeus expulsos de Portugal e Espanha, puderam tornar-se, finalmente, cidadãos portugueses. Vindos de todo o mundo, cerca de 20 mil judeus chegaram a Portugal e deram azo a uma onda de empreendedorismo e ao investimento de milhares de milhões de euros na economia portuguesa, numa relação de win-win.

Com ligações históricas e efetivas ao país, os judeus sefarditas entendem igualmente o momento positivo do país e a sua posição estratégica na Europa, procurando acrescentar valor à economia nacional, em áreas mais óbvias como o turismo, até a bens imobiliários, infraestruturas, indústrias médicas, entre outros setores.

Mas, Portugal de 2020, anfitrião mais uma vez da Web Summit, o contributo principal da comunidade judaica é na tecnologia, uma vez que há um crescente investimento e contribuição para o setor tecnológico e no crescimento da cultura de startups, que tem vindo a crescer recentemente em Portugal. Falo de empresas como a OrCam (visão artificial); a Guesty (startup israelita de gestão profissional de short-rentals) ou a Innosensi (engagement sensorial).

Casando com os esforços governamentais feitos nos últimos anos, muitos dos judeus sefarditas que chegam a Portugal trazem consigo a experiência e mentalidade certas para contribuir para o crescimento da nação. E as pontes não param de ser criadas, como se vê pelo recente acordo entre agências espaciais de Portugal e Israel. A inclusão da comunidade judaica na construção de propostas concretas para a economia é o passo seguinte e um programa conjunto dos governos português e israelita deve ser o ponto de partida.


1 view
 Check your eligibility with our specialized Passport Club team!

 

IL | 972-073-7258589

BR | 11-992749723

© 2018 Portuguese Passport Club

  • Instagram
919df067a8fbd22ce7b6f401b7688b35.png